19 de jun de 2011

Casa Arrumada de Carlos Drummond

Minha amiga e prima Denise me mandou uma poesia linda de Carlos Drummond que eu quero muito compartilhar com vocês.




Casa arrumada é assim:

Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.

Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.

Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas...

Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:

Aqui tem vida...

Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.

Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.

Sofá sem mancha?

Tapete sem fio puxado?

Mesa sem marca de copo?

Tá na cara que é casa sem festa.

E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.

Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.

Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto...

Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda. A que está sempre pronta pros amigos, filhos...

Netos, pros vizinhos...

E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brincaou namora a qualquer hora do dia.

Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.

Arrume a sua casa todos os dias...

Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...

E reconhecer nela o seu lugar.

Carlos Drummond de Andrade

Achei linda esta poesia e tive uma enorme identificação com ela! Concordo com os argumentos do poeta: meus livros estão sempre espalhados por todos os lados e às vezes acumulo tantos ao lado da cama que nem consigo ligar o abajur; meus bichos tem passe livre pelas portas e janelas e entram em todos os cômodos; as cadeiras tem marcas dos gatos e alguns tapetes foram mordidos nas pontinhas por algum dos cachorros, tem alpiste nas minhas blusas de lã e nas mochilas das crianças quando vão pra escola.A mesa tem marca de travessa quente, mas não fui eu que fiz, pois não me acho boa cozinheira, mas estou sempre pronta para arrumar tudo e receber a quem tenho estima.

Até mais,

PS: Na foto tela da Ane de 2007

9 comentários:

Cristina Sá literaturainfantilejuvenil disse...

ELI,
VERDADE! TUDO VERDADE!
É MESMO ASSIM QUE TEM QUE SER UMA
CASA COM VIDA.
LINDO TEXTO!
MAIS LINDO AINDA É A TELA DA ANE!
bjs
CRISTINA SÁ do blog:
http://cristinasaliteraturainfantilejuvenil.blogspot.com

Rachel Kleinubing disse...

Drummont é sempre demais. Ele pode. Bom pra gente pensar em que tipo de organização queremos dar à vida, né. A ordem de prioridades, de sentido, de significados ou a ordem estética, a padronização vazia?

Patricia Paulozi disse...

Simplesmente amei o poema !!!!
Minha casa é sempre uma bagunça, bagunça de dois menininhos lindos, meus filhos Pedro e Guilherme, de uma cahchorra super dócil , a Mel - praticamente babá dos meninos, e dos meus desenhos, que deixam material de arte por todo cantos...rsss

Maristela Melo disse...

Amei a poesia e o quadro... nos identificamos muito com a casa arrumada, temos livros espalhados por todos os lugares... amo pintar tem lápis de cor, giz de cera, canetinhas na mesa de trabalho, na mesa da cozinha, perto do telefone... que Maravilha!!! Que nossas casas tenham vida e sejam organizadas de acordo com nossas prioridades: prazer, filhos, paixões e amores...por todo os lados
Beijos Eli
Maristela do blog: http://leiturasaoventomaringa.blogspot.com/

Benó disse...

Drummond é sempre Drummond. Aqui, deiz-se: Nem tanto ao mar nem tanto à terra. Há que ter o meio termo e dar prioridades.Livros muitos, almofadas imensas, amor aos montes ,mas tudo no seu lugar. Um abraço apertado deste lado do atlantico, ainda no mesmo lugar de onde partiram as caravelas há..... séculos.

Eliziane disse...

Gente, to adorando ser recebida com tanto carinho na "casa"de todos vcs! Beijos!!!!!

Alessandra disse...

Já tinha lido a poesia no blog dias atras e reli hoje. Adorei! Não conhecia esta. É sempre muito gostoso e instrutivo passar pra ler o teu blog Eli. Bjs, Ale.

Alessandra disse...

Já tinha lido a poesia no blog dias atras e reli hoje. Adorei! Não conhecia esta. É sempre muito gostoso e instrutivo passar pra ler o teu blog Eli. Bjs, Ale.

Isabel Furini disse...

Belo texto e apreciei muito o seu comentário Eli, realmente você tem um estilo agradável e fluente.