31 de jan de 2013

O Silêncio - Eugênio de Andrade






O Silêncio

Quando a ternura 

parece já do seu ofício fatigada, 

e o sono, a mais incerta barca, 
inda demora, 

quando azuis irrompem 
os teus olhos 

e procuram 
nos meus navegação segura, 

é que eu te falo das palavras 
desamparadas e desertas, 

pelo silêncio fascinadas. 


Eugenio de Andrade


tela:  Catrin Welz-Stein

23 de jan de 2013

Alberto Caeiro







Se sou mais que uma pedra ou uma planta? Não sei,
Sou diferente. Não sei o que é mais ou menos. (...)
Sei que é diferente apenas.
Ninguém pode provar que é mais que só diferente.
Alberto Caeiro

14 de jan de 2013

Charles Chaplin




Tua caminhada ainda não terminou....
A realidade te acolhe
dizendo que pela frente
o horizonte da vida necessita
de tuas palavras
e do teu silêncio.

Se amanhã sentires saudades,
lembra-te da fantasia e
sonha com tua próxima vitória.
Vitória que todas as armas do mundo
jamais conseguirão obter,
porque é uma vitória que surge da paz
e não do ressentimento.

É certo que irás encontrar situações
tempestuosas novamente,
mas haverá de ver sempre
o lado bom da chuva que cai
e não a faceta do raio que destrói.

Tu és jovem.
Atender a quem te chama é belo,
lutar por quem te rejeita
é quase chegar a perfeição.
A juventude precisa de sonhos
e se nutrir de lembranças,
assim como o leito dos rios
precisa da água que rola
e o coração necessita de afeto.

Não faças do amanhã
o sinônimo de nunca,
nem o ontem te seja o mesmo
que nunca mais.
Teus passos ficaram.
Olhes para trás...
mas vá em frente
pois há muitos que precisam
que chegues para poderem seguir-te.
Charles Chaplin

10 de jan de 2013

Lenda do mendigo e do arroz





Certa vez, um mendigo estava andando com um prato de arroz na mão, quando parou ao seu lado o Rei daquele lugar.O Rei pediu para o mendigo um pouco do seu arroz.O mendigo então olhou para o rei e pensou: Ele pode ter de tudo o quiser e foi bem mesquinho.Pegou um único grão de arroz e deu ao Rei.O Rei, então, fechou o grão dentro da mão do mendigo tocou seu cavalo e foi embora.Quando o mendigo abriu a mão, levou um susto.O grão de arroz havia se transformado em uma pepita de ouro.Neste momento, o mendigo olhou para o prato de arroz e saiu correndo atrás do Rei, dizendo: -Por favor, Majestade, pare. Eu mudei de idéia, tome mais do meu arroz.Então o rei disse: - Não.Você já recebeu tudo aquilo que colocou na vida, de bom grado e de bom coração. 
*O que se recebe da vida é aquilo que nela se coloca primeiro, nem mais nem menos. É lei.

7 de jan de 2013

Metamorfose - Claudia Banegas




METAMORFOSE
(Cláudia Banegas)

Minha vida consiste agora
De idas e vindas
Partidas e chegadas
Chegou a hora

Mudança, transformação
Ao alcance da minha mão
É só eu querer
Deixar acontecer

Vou me arriscar, tentar
Sem medo de fracassar
Não olharei para trás

E se eu vier a chorar
Não será por covardia
Minha noite enfim, tornar-se-á dia

4 de jan de 2013

Receita de Ano Novo- CDA




Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

2 de jan de 2013

Coragem- Osho






A palavra coragem é muito interessante. Ela vem da raiz latina cor, que significa "coração". Portanto, ser corajoso significa viver com o coração. E os fracos, somente os fracos, vivem com a cabeça; receosos, eles criam em torno deles uma segurança baseada na lógica. Com medo, fecham todas as janelas e portas – com teologia, conceitos, palavras, teorias – e do lado de dentro dessas portas e janelas, eles se escondem.

O caminho do coração é o caminho da coragem. É viver na insegurança, é viver no amor e confiar, é enfrentar o desconhecido. É deixar o passado para trás e deixar o futuro ser. Coragem é seguir trilhas perigosas. A vida é perigosa. E só os covardes podem evitar o perigo – mas aí já estão mortos. A pessoa que está viva, realmente viva, sempre enfrentará o desconhecido. O perigo está presente, mas ela assumirá o risco. O coração está sempre pronto para enfrentar riscos; o coração é um jogador. A cabeça é um homem de negócios. Ela sempre calcula – ela é astuta. O coração nunca calcula nada.


Osho