19 de out de 2011

A História do Lilinho!



Já substitui um “Lilinho” aqui em casa, só que foi um canarinho belga. Minha filha tinha acabado de aprender andar e ia até a gaiola todos os dias escutar ele cantar. Hoje, 11 anos depois, o mesmo ainda está conosco e ela ainda vai até a gaiola escutar ele cantar.

Somente no ano passado por uma outra história que contávamos é que esta substituição foi revelada. Claro que o aprendizado da “passagem” é importante e ele veio depois com um querido cachorro meu, o Boni. Sei que existem muitas teorias a respeito, mas não vejo necessidade em adiantar as coisas. Percebo uma pressa em nossa sociedade querendo que as crianças cresçam rápido demais, até parece que querem terminar com a infância de uma vez. Cada vez mais cedo os brinquedos, o encanto do Papai Noel e a inocência são deixados de lado.

Adorei a história do Lilinho!

E vocês..... quem mais já substituiu um Lilinho?

17 de out de 2011

Museu de Arte da UFPR




O ato de presentear ou receber presentes invocam sensações agradáveis. Sempre fico pensando que os melhores presentes que recebi não vieram em embalados em papéis especiais, nem envolvidos em fitas brilhantes. Um presente sempre tem a intenção de demonstrar afeto.

Digo isso porque recebi um desses presentes especiais. Um convite para acompanhar uma amiga e seus alunos, todos envolvidos com arte, em visita a alguns museus aqui em Curitiba. Lugares especiais que eu ainda não conhecia. Passar uma tarde no mundo das artes é um bálsamo para mim, simplesmente amo!

Está acontecendo aqui a 6 Bienal de Curitiba Vento Sul, com o tema “Além da Crise”, considerado um dos maiores acontecimentos da arte contemporânea da América Latina.


Hoje vou falar do MUSA, Museu de Arte da Universidade Federal do Paraná. Acho o prédio da UFPR muito lindo, com suas colunas gigantes, suas escadas encantadas, seus vitrais coloridos, acho tudo fascinante. E foi lá que conheci o trabalho de Joaquin Sanchez e Marcelo Medina.

Joaquín Sanchez mostra um mergulhador boliviano que submerge na Baía de Rada, Iquique, no lugar de combate naval do Chile e da Bolívia em 1879. Neste local de conflito, 9 imigrantes formam a frase “Non se nadar” com letras feitas com água do mar congelada. O vídeo é projetado em quatro telas gigantes, e o som é tão perfeito que temos a sensação que a qualquer momento aquela água toda vai realmente nos envolver.


Já Marcelo Medina mostra uma série de pinturas- escritos com certo humor negro e cinismo que se misturam com contos infantis e marketing televisivo no seu trabalho intitulado Theatrum Mundi. Gostei em especial das duas telas acima.


6ª VentoSul – Bienal de Curitiba
Museu de Arte da UFPR - MusA
17 de setembro a 20 de novembro de 2011
De segunda a sexta-feira, das 09h00 às 18h00
e sábados, das 09h00 às 13h00.
Fone (41) 3310-2603

10 de out de 2011

Nick Vujicic "Uma Vida Sem Limites"



A primeira vez que ouvi falar do Nick foi através de um email com um pedacinho de uma de suas palestras. Fiquei impressionada e guardei isso na memória. Agora terminei de ler o livro dele “Uma Vida sem Limites”, pela Ed. Novo Conceito.

Nick nasceu sem braços e sem pernas, em razão de uma síndrome, tetra-amélia, em dezembro de 1982 na Austrália. Com 17 anos fundou uma organização sem fins lucrativos chamada Life Without Limbs (Vida Sem Membros).

Dono de uma fé inabalável, Nick viaja pelo mundo com suas palestras motivacionais que incentivam as pessoas a superarem suas dificuldades através da fé, da esperança, do amor e da coragem, batalhando sempre pelos seus sonhos.

O livro conta a história da deficiência de Nick e a sua luta física e emocional para viver sua vida e inspirar as pessoas a viverem as suas da melhor maneira possível.

Na internet tem inúmeros vídeos com ele, em todos os que vi e também nas fotos sempre fico impressionada com o sorriso e o brilho no olhar desta pessoa tão especial.

Fiquei surpresa com suas histórias, pois nada é obstáculo para Nick, seja nos esportes como na vida acadêmica ele sempre realiza seus desejos.É impressionante como ele pega onda, mergulha, anda de skate e faz omeletes!

“O lugar entre a sua zona de conforto e o seu sonho é onde a vida acontece” N.V.

3 de out de 2011

Vida - Augusto Branco




Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas
que eu nunca pensei que iriam me decepcionar,
mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
e amigos que eu nunca mais vi.

Amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
e quebrei a cara muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi!
E ainda vivo!
Não passo pela vida.
E você também não deveria passar!

Viva!!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é MUITO para ser insignificante.



Acho esta poesia encantadora! A foto é da minha querida Rachel Kleinubing (http://rachelkleinubing.olhares.com/)